sábado, 10 de outubro de 2009

Rita in Wonderland


(...) Como ansiava por sair daquele átrio escuro e passear por entre aqueles canteiros de flores de cores vivas e aquelas fontes de água fresca! ... Mas nem se quer a cabeça lhe cabia no buraco. «E mesmo que coubesse», pensava a pobre Alice, «de que serviria sem os ombros? Oh, como eu gostava de fechar-me como um telescópio! Acho que poderia se soubesse como começar!» (...)
in Alice no País das Maravilhas

1 comentário:

Diogo Maymone disse...

Tenho saudades tuas ... nao sei passar o tempo sem ti ...cada vez te quero mais sem ti nao e o mesmo e uma seca cada vez que vais a Lisboa