quinta-feira, 20 de maio de 2010

Philippines & Bangkok

Isto de estar longe, tem muito que se lhe diga.... a vontade voltar é pouca ou mesmo nenhuma.... viver sem telemóvel, todo o dia de chinelas, o armário resumir-se a uma mochila, com 2 calções, 1 mini saia, 4 t-shirts, 2 bikinis, e 6 cuecas para 23 dias, nos tempos de uma rapariga moderna parece quase ou mesmo muito pouco provável. Mas lá fomos cheios de vontade, e com desejo que fosse sempre assim e nunca acabasse.

Primeiro foi o vulcão que não nos queria deixar voar, depois foi a prensa que são tão exagerados que dizia que não viajássemos para Bangkok porque era perigoso. Mas mesmo assim fomos.

Parámos em Bangkok, living in Khao San Road, só por 2 dias, tudo parecia calmo e os red shirt devriam estar em pura estratégia para voltar a atacar pelos seus direitos um pouco mais tarde, não se via rasto deles desde há 2 dias. Andámos a ripar de Tuc Tuc por todo Bangkok.

Dia 27 voámos para as Filipinas, para Legazpi a cidade do vulcão, e daí para Donsol nadar com o peixe maior do mundo, o tubarão baleia. Brutalmente grande, assustador, mas dócil... a primeira vez que o vi não podia nem respirar de tão assustada que estava.

Dia 29, voltámos a voar para Manila, uma cidade extremamente suja, e pobre.... apanhámos um autocarro e fomos para o meio da natureza no Norte de Luzon. Banaue... uma vila no meio de terraços e campos de arroz. Conhecemos a Lolita, a nossa guia no meio dos arrozais.... fizemos um tracking de 7 horas num dia até Batad, e no outro mais 4 horas de volta a Banaue. Posso dizer que verde mais verde não há, as paisagens são autenticas pinturas.


Voltámos a Manila pela noite para irmos directos ao aeroporto... essa viagem no autocarro congelador, sim era pior, em pleno clima tropical com 30º à noite, estive que comprar um gorro e uma manta para poder suportar os 10º que faziam dentro. E mais, a meio da viagem uma surpresa, pneu furado.... ahahaha... toca andar, não passa nada... o sr motorista decidiu seguir viagem com o pneu furado a 100 km/h durante 4h. E lá chegámos sem pneu e a tempo ao aeroporto Ninoy Aquino, para Palawan.


Puerto Princesa, fomos directos San José terminal, para irmos numa van que supostamente saía às 11h.30... que só saiu quando estava totalmente cheia. Fomos com uns amigos Franceses que conhecemos quando saíram de um carro preto fumado a todo estilo, seguiram viagem connosco durante 6 dias a caminho de El Nido, Port Barton.


A viagem até ao Norte da ilha, durou 6 horas para uma distância de 200km .... A estradas eram em cimento e a outra metade em lama. Se chove, os carros ficam atulhados... o que foi o caso! Foi a viagem do Camel Trophy. EL Nido, uma baía com vista a dezenas de ilhotas de cor verde e praias paradisíacas. Aí ainda juntaram-se ao grupo mais 2 austríacas, o que ficou baratissimo para alugar o barco a meias por dois dias. Conhecemos o Warren um miúdo Filipino que nos levou a todos os cantinhos dessas ilhas, e levou-nos a autênticos aquários gigantes cheios de cores e peixes de todos os tipos.

Port Barton, próximo destino, uma aldeia de pescadores muito pequenina, com pouco turista, super tranquilo, e dos sítios mais bonitos que já estive por ser tão selvagem e tão pouco explorado. Encontrámos uma tartaruga enorme, e ainda podemos nadar um bocadinho atrás dela. Vimos borboletas de cores impressionantes em terra e no meio do mar enquanto navegávamos, peixes que levantavam voo e atuns voadores. A areia da praia, estava cheia de caranguejos pequeninos e grandes.... à medida que ias caminhando escondiam-se na areia. Agora vem o melhor, só havia um transporte, o publico, para sair daqui e ir para Puerto Princesa a capital de Palawan. O autocarro das Filipinas chama-se jeepney, metade jeep metade mini autocarro. Quando lá chegámos, too late, autocarro cheio, o que fazia a cobrança dos bilhetes disse just on the top! Eu fingi que não ouvi, saltei para dentro do autocarro cheio, lá consegui um lugar com a cabeça de fora da janela, e o D. esteve que ir no telhado do jeepney durante quase 4 horas ao vento, ao sol, e sentado em cima de uma saca de algas. E para sair como é.... por cima das pessoas todas???... impossível nem se mexem... estive que sair mesmo pela janela do autocarro. ( capacidade máxima do autocarro 30 - minimo 80 pessoas)

Daí de volta a Bangkok, 4 dias de compras, de templos... e de muito mais.... Buda Bless Red Shirts.... silêncio!

2 comentários:

Andorinha disse...

Brutal! Não sei se seria capaz, mas fiquei cheia de vontade ;))

Miss Rita disse...

Porquê???? Foi tão bom!!!!!!